Posto fixo para realização de testes à COVID-19 já em funcionamento

O Posto Fixo para realização de testes à Covid-19 já está em funcionamento. Localizado no parque de estacionamento Park & Ride da estação de metro de Pedras Rubras, em Moreira da Maia, resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal da Maia e a Cruz Vermelha Portuguesa, concretizada com a colaboração da Freguesia de Moreira e da Metro do Porto.

O posto que já recebeu hoje os primeiros utentes permite a realização de 600 testes diários. Os testes de antigénio são certificados e permitem resultados em apenas 15 minutos. O posto da Maia está aberto a todos, sendo gratuito para todos quantos apresentem prescrição médica e tendo um custo de 20 euros para quem o não tenha. O Posto Fixo da Cruz Vermelha funciona de segunda a sábado entre as 9h00 e as 13h00 e entre as 14h00 e as 18h00. As marcações podem ser feitas através do número de telefone 1415 ou online em testescovidcvp.pt.

A abertura oficial do posto fixo para realização de testes à Covid-19 contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Saúde. Na ocasião, António Sales sublinhou a “capacidade de resistência e de adaptação das gentes do Norte” evidenciada durante a pandemia e congratulou-se com a parceria entre a Câmara Municipal da Maia e a Cruz Vermelha Portuguesa, frisando que “as parcerias são motivo de grande orgulho para todos. Estaremos à altura de vencer este combate”.

António Sales lembrou que “em março começámos com 1 laboratório e hoje temos mais de 100. Portugal tem hoje capacidade para realizar 50.000 testes por dia. Desde março já testámos 4,7 milhões de pessoas”.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal da Maia lembrou todo o trabalho feito pelo Município que o colocou na linha da frente do combate à pandemia desde o primeiro minuto. “Os tempos que vivemos clamam por um verdadeiro sentido de comunidade nacional e do dever que a todos nos convoca, para uma efetiva partilha colaborativa. Uma partilha que é em si mesma, neste momento exigente e difícil, um valor inspirador que norteia a nossa proatividade e intervenção”, sublinhou.

António Silva Tiago afirmou-se “ciente das responsabilidades que cabem ao Município da Maia, mas sobretudo profundamente convicto de que, só unidos em torno do maior desígnio coletivo que Portugal enfrenta neste século, conseguiremos ultrapassar esta crise que a todos convoca. Na Maia, tudo faremos para participar neste combate nacional à pandemia, prosseguindo com a cooperação que carateriza as nossas relações institucionais e, sobretudo, dizendo sempre presente à nossa comunidade concelhia”, concluiu.

O presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George, agradeceu à Câmara todo o trabalho desenvolvido, lembrando “as respostas sociais que a Cruz Vermelha tem com a Câmara da Maia e que são verdadeiramente imparáveis” e frisou que “o país precisa de união de todos e se todos colaborarmos vamos conseguir vencer este desafio”.

Fontes oficiais da Direção Geral de Saúde, em reunião de ontem com o Infarmed, apontaram para evidências de que o pico da 2ª vaga da pandemia tenha ocorrido em 25 de novembro e que os números de novas infeções revelam «desagravamento em vários municípios, sobretudo na região Norte».

De acordo com o reporte estatístico da ARS Norte, à data do dia 2 de dezembro, a Maia é de todos os 18 concelhos do distrito do Porto aquele que apresenta o valor mais baixo (758,4) de incidência de casos nas últimas duas semanas (14 dias) por 100 mil habitantes, indicador que serve como referência para a aplicação de medidas restritivas aos concelhos.

Não obstante essa boa notícia, mantém-se premente a necessidade de manter a vigilância e as medidas excecionais decretadas.

LOCALIZAÇÃO

Também pode interessar-lhe